Pense

Pense Comigo.

Você gera riquezas suficientes para cobrir o que você gasta do dinheiro público?

Quanto dos seus rendimentos ficam retidos antes mesmo de você recebê-los?

Quanto você paga de imposto de renda (a maior punição que um empreendedor pode receber)?

Quanto você paga pelo direito de ter uma casa? Um automóvel? E por aí vai.

Quanto você paga a cada transação? ICMS, ISS, IPI e toda a cascata cobrada em cima de cada simples compra de um pão, por exemplo?

Calculou? Por cima mesmo.

Agora pense o quando você usufrui.

Ruas pela qual você circula, iluminação pública (que você paga 2 vezes), parques que você se exercita ou passeia. Sim, tudo que você usa “de graça” (é bem menos do que você imagina, se pensar bem)

Agora responda. Você custeia seu uso?

Se você respondeu: “Não, e nem devo, pois o Estado tem o dever me sustentar e bancar minhas necessidades com o dinheiro arrecadado da minoria empresarial opressora” pode parar por aqui e vá ler o Brasil 247, Carta Capital e afins,

Se você respondeu “Sim, e com sobras, já que sou obrigado a pagar plano de saúde, escola particular e afins” , continue lendo…

Você que chegou até aqui e fez as contas, já percebeu que você paga muito caro por muito pouco e ainda de qualidade duvidosa.

Imagine se você pudesse deixar de pagar todos estes impostos que não vão parar onde devem e sim nos bolsos daqueles que são veementemente defendido pelo pessoal sanguessuga que parou de ler e foi pro site do Brasil 247, e bancasse simplesmente TODAS as suas necessidades pela iniciativa privada. Imagine quanto isso tudo custaria, se a iniciativa privada também não fosse bombardeada por uma carga tributária em cascata que chega a impactar mais do que 50% do custo final do produto/serviço.

Iniciativa privada que lhe proveria um serviço de excelência e a custos justos, já que a livre concorrência e a livre iniciativa regula o mercado de forma muito mais efetiva do que qualquer controle governamental.

Imagine se o Estado intervisse apenas nas questões de direito de propriedade e segurança pública para a defesa desse direito, de forma limpa?

Se você conseguiu imaginar tudo isso e sorriu, este é seu blog. Parabéns, você é um leão do mundo corporativo, e jamais será usado para rebanho.

Acompanhe-me nos próximos dias, meses e anos, onde pretendo discorrer sobre o mundo da gestão corporativa, baseado na minha vivência e na de outros, nas teorias e práticas mais eficazes e comprovadas, completamente despido do politicamente correto, à luz do objetivismo, do livre comércio, da defesa da iniciativa privada e completamente contra a intervenção estatal nas relações entre os particulares.